Acompanhe a declaração dos chefes de estado para a agenda 2030 dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável

10

ABR

PROJETO OIKOS É CONSIDERADO UM EXEMPLO DE BOAS PRÁTICAS PELA COMISSÃO NACIONAL DOS OBJETIVOS DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

O Projeto Oikos, da Fundação Antonio Meneghetti, foi selecionado para integrar o banco de práticas validadas da 1ª edição do Prêmio Nacional para os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) Brasil (Prêmio ODS Brasil). O Prêmio, que ocorrerá bienalmente, celebra o reconhecimento das práticas que contribuem, de forma efetiva, para a mobilização dos diversos setores da sociedade em prol do desenvolvimento sustentável, sendo uma iniciativa do Governo Federal que tem por objetivo valorizar, dar visibilidade e incentivar práticas que contribuam para o alcance das metas da Agenda 2030 em todo o território nacional. A Agenda 2030 e os ODS afirmam que para pôr o mundo em um caminho sustentável é urgentemente necessário tomar medidas ousadas e transformadoras. O Projeto Oikos alcançou 5 dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), que contém 169 metas e 232 indicadores internacionais definidos pela Organização das Nações Unidas (ONU), pretendendo-se assim, a evolução mundial equilibrada em quatro dimensões: econômica, social, ambiental e institucional.

Objetivos alcançados pelo Projeto Oikos dentro dos ODS:

ODS 3 – Assegurar uma vida saudável e promover o bem-estar para todos, em todas as idades;

ODS 4 – Assegurar a educação inclusiva e equitativa e de qualidade, e promover oportunidades de aprendizagem ao longo da vida para todos;

ODS 11 – Cidades e comunidades sustentáveis;

ODS 12 – Assegurar padrões de produção e de consumo sustentáveis;

ODS 15 – Proteger ecossistemas terrestres e deter a perda de biodiversidade.

 

                           

 

O QUE É O PROJETO OIKOS:

O Projeto Oikos é uma parceria público-privada entre Fundação Antonio Meneghetti (FAM) e municípios do interior do Rio Grande do Sul, que recebem o projeto em escolas públicas, contemplando cerca de 1.200 alunos, entre crianças e jovens. Todos os recursos utilizados são custeados pela FAM e, ainda, são anualmente distribuídos aos alunos materiais como pasta e lápis, além de uma camiseta do Projeto Oikos.

O Projeto surgiu com a necessidade de qualificar a agricultura local, que é sua base econômica, onde se destacam o plantio de arroz, soja e fumo, sendo utilizados produtos tóxicos para o cultivo, onde tanto a colheita quanto o plantio são feitos através de maquinários. O Oikos, buscando auxiliar na qualificação da região de maneira a produzir alimentos mais sustentáveis e saudáveis, ao mesmo tempo em que queria garantir melhor qualidade de vida e desenvolvimento local,vai até as escolas incentivando o cultivo de suas hortas, o contato com a terra e criando novas hortas nas que ainda não possuíam. As hortaliças são utilizadas para o preparo da merenda escolar e então, consequentemente, as merendeiras da escola também fazem parte do Projeto e aprendem com ele. Nas escolas onde o solo não era propício para o cultivo de hortaliças, ou que possuíam pouco espaço, foram construídas hortas suspensas verticalmente, com canos de PVC.

O Projeto conta com a supervisão dos professores e profissionais com competência técnica, que visitam as escolas semanalmente, para desempenharem seus papéis de multiplicadores de um estilo de vida coerente com a natureza e respeitando o futuro.

O Projeto ocorre de formas teóricas e práticas, pois os alunos inicialmente aprendem sobre a importância da sustentabilidade, responsabilidade ambiental, uso consciente de recursos naturais, etc., e depois partem para a prática ao aplicar nas hortas o que aprenderam na teoria, estimulando assim, a busca por um mundo mais sustentável, bem como um estilo de vida em harmonia com a natureza.

Poder, ao final do ciclo, desfrutar das hortaliças na merenda escolar, dá a concretude de sua ação, demonstrando que a natureza responde a todo cuidado e empenho dedicado a ela. A metáfora das hortaliças, portanto, demonstra como deve ser tratada a vida na terra e como o próprio indivíduo deve cultivar a si mesmo.

 

Para mais informações, acesse:

bit.ly/2XoYsl4

;